A endorfina se trata de um neuro-hormônio, uma substância natural produzida pelo cérebro. Existem diversos estudos sobre a endorfina, mas o que se sabe com  certeza é que ela tem uma potente ação analgésica e ao ser liberada estimula a sensação de bem-estar, conforto, melhor estado de humor e alegria.

O processo de produção e liberação da Endorfina pela glândula hipófise acontece durante e depois de uma atividade física.

Em determinado momento da atividade física a produção de endorfina atinge um limiar que a torna perceptível e surge a sensação de bem-estar que persiste mesmo depois de terminado o exercício.

Algumas pesquisas afirmam que os efeitos da endorfina são sentidos até uma ou duas horas após a sua liberação. Outros estudos observaram aumento das dosagens desse hormônio até 72 horas após o exercício. A intensidade e a duração do exercício parecem ser responsáveis pela concentração de endorfina no sangue. Após exercícios de intensidade leve a moderada não foi verificado aumento da taxa de endorfina no sangue.

Um estudo comparativo entre um exercício aeróbio (com cargas crescentes de intensidade) e outro anaeróbio (com duração máxima de 1 minuto) encontrou concentrações plasmáticas aumentadas de endorfina de forma muito semelhante. No exercício aeróbio esse nível alto de endorfina foi encontrado após ter sido alcançado o limiar anaeróbio (cerca de 75% do VO2 max). Observou-se também relação direta entre as concentrações de endorfina e outros hormônios relacionados à atividade física como o ACTH e adrenalina.

Não existe um tempo de exercício pré-determinado a partir do qual a endorfina começa a ser liberada mais intensamente. Estudos, já citados acima, demonstraram que tanto exercícios aeróbios quanto anaeróbios podem provocar um aumento de sua concentração.

Estudos recentes apontam que a endorfina pode ter um efeito sobre áreas cerebrais responsáveis pela modulação da dor. Por essa razão, diversos recursos utilizados nos tratamentos e reabilitação de dores e lesões realizados pela fisioterapia, um exemplo a TENS (Eletroestimulação Estimulação Neural Transcultânea), se baseiam na liberação de endorfina para a promoção de analgesia (melhora da dor). Provavelmente parte da capacidade da acupuntura em aliviar a dor seja devida ao estímulo da liberação de endorfinas. Uma vez estimulados pelas agulhas nos terminais nervosos (“pontos”) é gerado um impulso para aumentar a liberação de neurotransmissores no complexo supressor de dor, ou seja, é produzido o efeito analgésico na região cerebral. Além disso, ocorre liberação de endorfina no local inflamado.

Desta forma, para quem busca essa sensação de bem estar, conforto, diminuição de dores articulares e musculares, disposição, melhor estado de humor e alegria, nada melhor do que a prática de atividades física. Mas antes de qualquer pessoa iniciar a prática esportiva, se torna importante a realização de uma avaliação médica (feita pelo médico) e física (realizada por um educador físico), para que você conheça o seu nível de condicionamento físico, e seus limiares aeróbios e anaeróbios, e assim possa implementar no seu dia a dia a realização de uma atividade física e trabalhar de forma correta e segura.

Fonte: http://globoesporte.globo.com/blogs/especial-blog/leo-tubarao/post/o-que-e-endorfina-e-como-ela-funciona-no-seu-corpo.html

Mais de Instituto Mood

Mood Academy – Pesquisa

O Instituto Mood teve na data de 22 de Abril de 2019 a aula inaugural com a apresentação de mais um alicerce para a instituição – PESQUISA. A pesquisa no instituto Mood tem como...