Na noite da última segunda-feira (05), o Instituto Mood recebeu o 3º Encontro de Medicina do Futebol. Com a presença especial de Moraci Sant’Anna, mestre na preparação física, com seis Copa do Mundo no currículo e diversos dezenas de títulos no futebol mundial, o evento teve como tema central o Recovery e contou com a participação de médicos, fisioterapeutas, fisiologistas e preparadores físicos de clubes da toda região de São Paulo.

Conduzida pelo Dr. Thiago Miyasato, do Red Bull Brasil, e o encontro iniciou com uma explanação de Moraci Sant’Anna sobre o aspectos históricos e o desenvolvimento do Recovery. O multicampeão falou sobre o início dos trabalhos de recuperação no futebol e compartilhou suas inúmeras experiências dentro deste cenário. Um dos precursores do conceito de Recovery no futebol brasileiro, abrilhantou a discussão ao alertar que a ciência e a abundância de informações pode por vezes confundir uma tomada de decisão da comissão técnica, ressaltou que a experiência prática é fundamental para a condução do elenco, e que fisiologistas e analistas de desempenho tem grande importância na equipe , mas é necessário bom-senso na interpretação dos dados fornecidos por esses profissionais

Na sequência, foi a vez do Dr. Thiago Miyasato explicar sobre os aspectos médicos que envolvem o processo de Recovery e apresentar como é realizado esse processo no dia a dia de um clube de futebol. O médico citou que a decisão compartilhada entre atleta, médico e comissão técnica é fundamental para o sucesso da equipe e prevenção de lesões.

A nutricionista Mirtes Stancanelli, do Red Bull Brasil, levou ao público presente uma apresentação muito didática e explicativa sobre as estratégias nutricionais que devem ser adotadas no pós-jogo como processo de recuperação. Com ênfase principalmente na conscientização acerca da importância de alimentar-se bem e com qualidade.

Kauê Berbel, preparador físico da Ponte Preta, apontou a importância do controle de carga e o gerenciamento da gestão física do elenco como aspecto preventivo e recuperatório.  Além de testes para verificação de fadiga muscular e mostrou como é feita na prática a gestão da semana de treinos do elenco pontepretano.

Por fim, Hedras Freitas, fisioterapeuta com vasta experiência e atuação em clubes como Red Bull e Bragantino, fechou o encontro brilhantemente falando sobre a otimização da fisioterapia no processo de recuperação dos atletas de futebol.  O especialista explicou desde os primórdios, quando não havia os recursos tecnológicos e a terapêutica era manual, passando pela importância do fisioterapeuta em compor a equipe multidisciplinar.

O Grupo de Estudos em Medicina do Futebol foi idealizado e é coordenado pelo Dr. Roberto Nishimura, atualmente coordenador do Departamento Médico da AA Ponte Preta. A promoção do encontro é de responsabilidade do Instituto Mood.

Confira a galeria de fotos

Mais de Instituto Mood